Tá na Ita, tá legal!

Uma semana após prisão, pode chegar a 12 número de vítimas do ‘hétero top’

Maurício César Mendes Rocha Filho, conhecido como ‘hétero top’. Foto: Reprodução

Após uma semana da prisão de Maurício César Mendes Rocha Filho, conhecido como ‘hétero top’, novas denúncias estão surgindo contra o acusado de vazar vídeos íntimos, chantagear e extorquir mulheres, entre elas a jovem Luma Bony, de 25 anos. Ao todo, seis novos relatos denunciados por mulheres estão sendo analisados. A informação foi confirmada pelo advogado criminalista Filipe Coutinho da Silveira, responsável pela defesa da família da vítima.

Segundo o advogado, o quantitativo de vítimas pode chegar a 12, porém esse número ainda é aproximado, pois muitos desses relatos não são registrados por parte das vítimas. O advogado ressalta que todos os dias novos relatos são registrados, indo além das sete vítimas que já teriam prestado depoimento.

“Eu não tenho como afirmar o número exato, mas tenho como afirmar que todos os dias surgem novas vítimas e novas denúncias”, afirmou.

Nas redes sociais, a influenciadora digital e irmã da vítima, Luara Bony, encoraja outras vítimas de Mauricio Rocha, para que denúncias sejam registradas.

LUMA BONY

A jovem Luma Bony, de 25 anos, conheceu Maurício pela internet e Luma aceitou ir a um clube com Maurício. O próprio acusado divulgou em suas redes sociais vários vídeos desse encontro.

No mesmo dia, Luma trocou mensagens com uma amiga em que dizia estar drogada. Em uma áudio, ela comenta que não estava bem e pediu para ir embora, mas Maurício alegou que precisava passar em casa antes. Foi quando o acusado teria estuprado a jovem.

De posse de imagens íntimas de Luma, Maurício passou a chantageá-la. A jovem não aguentou a pressão e ameaças de vazar os vídeos e acabou cometendo suicídio.

Outra vítima contou à polícia que teria passado pela mesma situação e que Maurício a obrigou a fazer inúmeras compras com seu cartão de crédito. Além delas, mais cinco vítimas foram até a delegacia para contar o que passaram e fazer denúncia. E nesta quinta-feira, outras mulheres procuraram a delegacia para prestar queixa.

DENÚNCIAS

Denúncias de casos de crimes contra a dignidade de mulheres praticados pela internet podem ser feitas pelo disque denúncia 181, ou presencialmente, em qualquer unidade policial ou na sede da Diretoria Estadual de Combate a Crimes Cibernéticos, que fica localizada na Avenida Pedro Miranda, 2.288, bairro da Pedreira, em Belém. A PC ressalta a importância da formalização da ocorrência para que os casos possam ser devidamente apurados.

Fonte: Roma News