Tá na Ita, tá legal!

Projeto de lei cria o Dia Estadual do Digital Influencer

Divulgação
Alane Dias comemora o projeto de lei (Divulgação)

Influenciadores e influenciadoras digitais do Pará estão com dias contados para dar início a uma nova etapa para a categoria, que é a valorização da função de digital influencer. Na última terça-feira (16), foi aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa do Pará o projeto de lei que cria o Dia Estadual do Digital Influencer, e que marca 20 de agosto como data comemorativa. O governo do estado tem até 45 dias para sancionar a lei.

O projeto é do deputado Miro Sanova, líder do Partido Democrático Trabalhista (PDT). A assessoria do deputado explicou que a data é definida pelos influenciadores do Pará e do Brasil, pois consideram que a partir de 20 de agosto de 2009 começou com maior força a presença desses profissionais no meio digital.

A influencer paraense Paula Martins, mais conhecida como Tia Paula, diz que achou maravilhosa a aprovação da lei, pois ela explica que a internet, hoje em dia, é o maior meio de comunicação que a população possui. “É um meio tão importante quanto rádio, jornal, televisão, mas eu acho que com a pandemia ganhou muito mais força. O influencer transmite informações, de acordo com o seu nicho, com o seu público, enfim, é como um produto, um serviço”, destaca Paula.

Alane Dias, que também é influenciadora digital, também está satisfeita com a aprovação da lei.” Eu acho que é uma das coisas que mais contribuem para a regularização da nossa profissão e é muito importante também para que as outras pessoas que não trabalham no meio possam ver que é um trabalho como qualquer outro e possam valorizar também”, diz.

Com relação ao trabalho de digital influencer, ela explica que é um trabalho que exige dedicação e também transparência com o público. “Essa identificação do público com o conteúdo é o que mais faz com que as pessoas sejam fiéis, mas também é difícil manter, pois é algo permanente e exige muito”, reflete.

Para Alane, a medida significa um avanço nessa questão da valorização profissional, pois muitas pessoas ainda acham que trabalhar com internet é apenas parcerias ou trocas. “Algumas pessoas ainda não entendem que de fato é uma profissão séria e que você ganha com isso”, completa a influenciadora.

A assessoria do deputado acrescentou que a aprovação da lei é o primeiro passo para que a categoria se organize e crie um ponto de reconhecimento da profissão do ponto de vista legal, social e trabalhista.

Fonte: O liberal