Tá na Ita, tá legal!

Prodepa alerta sobre cuidados ao comprar on-line na Black Friday

A Black Friday é um evento do comércio norte-americano que já virou tradição no Brasil, na última sexta-feira de novembro. Esse período de promoção tem relação com o Natal, uma vez que a Black Friday inaugura a temporada de compras natalinas. É a época em que as lojas oferecem maiores descontos e promoções.

Diante de muitas facilidade é importante ficar atento, para não cair na famosa “black fraude”. A Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa) alerta a população sobre os cuidados necessários com links fraudulentos, e os possíveis riscos ao comprar on-line.

Foto: Divulgação

A partir de 2020, devido à pandemia de Covid-19, as vendas on-line no Brasil cresceram de forma significativa. Um levantamento realizado pelo site de compras “CupomValido” indica que o Brasil lidera o ranking de crescimento das vendas digitais, com 22,2% neste ano. Além disso, comprar on-line se tornou ainda mais fácil. É necessário apenas um clique e a compra é efetuada. Por isso, é preciso ter atenção com os links criados com o objetivo de causar algum dano aos usuários.

Sites e links – O principal risco para quem efetua compras on-line são as mensagens enviadas por e-mail, SMS, WhatsApp ou outros aplicativos de mensagens, que sugerem a compra de algum produto ou serviço com descontos muito acima do mercado, e que levam o comprador a clicar em algum link malicioso. De acordo com o gerente de Segurança Digital da Prodepa, Fagner Nascimento, é necessário examinar os sites e links que chegam até os consumidores induzindo à compra on-line.

“O consumidor pode ser levado a um site ou formulário fraudulento, que vai induzi-lo a fornecer dados bancários e pessoais para efetuar aquela compra. Por isso, toda mensagem que induz a um click deve ser bem examinada para não levar a fraudes, que ocorrem com muita frequência com navegadores de internet que estão desatualizados e, portanto, com maior vulnerabilidade a invasões”, ressaltou.

Segundo Fagner Nascimento, alguns dos principais prejuízos de cair em links fraudulentos são: roubo de credenciais; sequestro de dados; infiltração de dados sigilosos e realização de pagamentos falsos, destinados a outros recebedores.

“A primeira coisa que se deve fazer quando for vítima desses crimes é acionar a polícia e fazer um Boletim de Ocorrência, para que a situação fique registrada. Em seguida, é preciso bloquear cartões de crédito e débito, carteiras virtuais e demais serviços financeiros que podem estar expostos. Assim você evita, por exemplo, ter seu cartão clonado”, reiterou.

Além dessas medidas, é fundamental informar às instituições financeiras para que elas também fiquem atentas a movimentações estranhas em contas. Também é importante trocar as senhas, tanto de e-mail, redes sociais, contas bancárias ou de qualquer outro site ou serviço, e até mesmo senhas de streaming ou transporte de aplicativo.

Antivírus – Ainda de acordo com o gerente da Prodepa, para se prevenir e não cair na “black fraude” na hora de comprar on-line é necessário utilizar um computador seguro, e ter cuidado com computadores cuja procedência não é conhecida. Além disso, é fundamental manter o sistema operacional atualizado, com o Software de antivírus instalado e licença ativa em funcionamento.

“Não é seguro iniciar compras a partir dos links recebidos por e-mail ou por mensagens instantâneas. O correto é ir diretamente ao site da loja virtual e efetuar a compra a partir de lá. Nunca utilizar dados do cartão de crédito físico. A maioria dos bancos já permite criar um cartão virtual temporário apenas para aquela compra. Esses cuidados são essenciais, e evitam danos e prejuízos aos consumidores”, acrescentou.

Fonte: Agência Pará