Tá na Ita, tá legal!

Polícia tenta prender ex-senador de Roraima Telmário Mota suspeito de mandar matar mãe da própria filha

A Polícia Civil de Roraima montou uma força tarefa nesta segunda-feira (30) para tentar prender o ex-senador Telmário Mota, suspeito de mandar matar Antônia Araújo de Sousa, de 52 anos, mãe de uma filha dele que, no ano passado, o acusou de estupro.
A operação também busca prender outros envolvidos no assassinato.
Antônia foi assassinada com um tiro na cabeça no dia 29 de setembro, quando saía de casa para trabalhar, por volta das 6h30, no bairro Senador Hélio Campos, zona Oeste de Boa Vista, capital de Roraima.

Segundo as Informações da Polícia Civil o ex-senador está em Brasília, onde Policiais tentam localizá-lo.
A Polícia Civil cumpre três mandados de prisão e sete de buscas e apreensão, e tem o apoio da Polícia Militar, Secretaria de Segurança Pública (Sesp) e Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco).

Além do senador, são alvos da operação:
Um sobrinho do senador, identificado como Harrison Nei Correa Mota, conhecido como “Ney Mentira”;
E um dos principais suspeitos do assassinato, é Leandro Luz da Conceição ele que pode ter efetuado o tiro que matou Antônia.
De acordo com as informações a decisão de matar Antônia partiu de uma reunião na fazenda Caçada Real, onde Telmário Mota deixou o sobrinho como responsável pela execução do crime.
Investigadores descobriram que a moto usada pelos assassinos no dia do crime foi comprada pelo sobrinho do ex-senador. Segundo a polícia, o veículo foi adquirido por R$ 4 mil em espécie, estava em nome de outra pessoa e com documentação irregular.

Após comprar a moto, o sobrinho do Telmário entregou para uma assessora do ex-senador levar até uma oficina e realizar alguns reparos/revisão. Em seguida, pediu para a assessora entregar a moto para os autores do crime em um local indicado.


A assessora do ex-senador foi vista indo entregar a moto aos assassinos um dia antes do crime. A Polícia Civil tem uma imagem dela pilotando a moto.

 

Fonte: g1.globo.com/rr/roraima
Foto: Reprodução