Tá na Ita, tá legal!

Polícia cumpre mandados no Pará contra quadrilha de golpes por aplicativos de mensagem. Prejuízo chega a R$ 300 mil

Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Pará deflagrou nesta terça-feira (6) a Operação Arlequim contra uma quadrilha de estelionato que aplicava golpes eletrônicos. São cumpridos 12 mandados de busca e apreensão no Pará e também em São Paulo, Ceará, Piauí e Distrito Federal.

A investigação começou em Xinguara, no sudeste do Pará, após o número de celular de um médico ser habilitado em outro aparelho, que não era seu e sem sua autorização.

“Os criminosos começaram a enviar mensagens solicitando dinheiro a pessoas próximas ao médico. Estima-se que o grupo tenha causado um prejuízo aproximado de R$ 300 mil”, informou a polícia.

O alvo da operação são os suspeitos de cometer as fraudes e também pessoas que alugaram ou emprestaram contas bancárias para receber os valores indevidos. Não foi informando quando suspeitos são investigados ao todo e quantas pessoas podem ter sido vítima dos golpes.

Máquinas de cartões, cartões, celulares e chips utilizados para a aplicação dos golpes foram apreendidos. Não houve prisões.

No Pará, foram cumpridos quatro mandados. A operação tem apoio do Laboratório de Operações Cibernéticas da Secretaria de Operações Integradas (CIBERLAB) o do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

As investigações seguem em andamento para identificar mais vítimas e responsabilizar todos os envolvidos e identificar mais vítimas. Os investigados podem ser indiciados por associação criminosa e lavagem de capitais .

A pena por praticar golpes em que se engana as vítimas para obter vantagens, incluindo dinheiro, é de quatro a oito anos de prisão e multa.

Fonte: G1 PA