Tá na Ita, tá legal!

PM mata ex-companheira na frente de duas crianças na Zona Oeste do Rio

O soldado da Polícia Militar Thiago dos Santos Almeida, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, matou a companheira na manhã desta segunda-feira na frente de duas crianças pequenas na Rua Sibéria, em Bangu, Zona Oeste da cidade. A vítima, uma professora identificada como Ellen Ramos Soares Ribeiro, de 32 anos, foi encontrada pela prima Kelen Cristina de Freitas caída em um cômodo da residência onde morava por volta de 6h.

De acordo com Kelen, Thiago teria invadido a casa de Ellen e a assassinado na frente de dois filhos dela menores de idade. Na delegacia, ela explicou que ouviu gritos na casa da prima e quando foi ver o que tinha acontecido já encontrou a vítima sem vida. Ela relatou ainda que uma das crianças disse ter visto Thiago matar Ellen.

A mulher era sobrinha do ex-deputado federal e ex-vereador Luiz Carlos Ramos, conhecido como Luiz Carlos Ramos do Chapéu. Ele e seu filho, o vereador Luiz Carlos Ramos Filho estão no local onde aconteceu o assassinato.

Indignado com o ocorrido, Sidney Soares, de 62 anos, pai de Ellen, falou à reportagem:

— Ele matou a minha filha. Olha o que ele fez. Levantasse e fosse embora. Não tinha que matar a minha filha. Ela tinha dois filhos. O que vou falar com os meus netos? Ele veio na minha casa e matou a minha filha. Ele não podia ter feito isso — desabafou.

Segundo o vidraceiro Fernando José de Souza, tio de Ellen, o casal passou o final de semana na Praia de Coroa Grande, em Itaguaí, e ontem à noite voltou a brigar. Ellen então decidiu ir para a casa dos pais com os dois filhos, enquanto Thiago ficou no local onde morava com Ellen. Durante a madrugada desta segunda, o militar foi até a casa onde a professora estava, pulou o portão, arrombou a porta, bateu na mulher a matou no quarto da filha de três anos. Em seguida ele fugiu.

Fernando também disse que Thiago era muito ciumento e agressivo e que há três meses, Ellen teria sofrido agressões por parte do companheiro. Após isso, a professora tentou sair do relacionamento, mas o PM não aceitava.

Thiago se entregou à polícia horas depois de ter matado a companheira. Ele foi encaminhado para a 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM) no Méier. Lá ele deverá prestar depoimento e em seguida será levado para a DHC, que investiga o caso.

Fonte: Extra