Tá na Ita, tá legal!

Pará terá mil escolas com internet em dois anos

Reprodução

O governo do Estado, através da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa) e da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), vai investir mais de R$ 60 milhões no projeto WebEscola, que pretende conectar nos próximos dois anos cerca de mil unidades públicas de ensino da rede sob gestão da secretaria com banda larga e uma rede Wi-fi para alunos e colaboradores para incentivar o desenvolvimento educacional.

O investimento em infraestrutura nas escolas e unidades da Seduc por todo o Pará se soma à política de valorização dos professores, que receberão um reajuste de 15% anunciado, na última segunda-feira (13) pelo governador Helder Barbalho no começo do ano letivo, colocando os docentes paraenses no patamar de segundo maior salário do Brasil.

Secretário de Educação do Pará, Rossieli Soares quer que a educação do Pará seja referência nacional. Ele ressalta que o Estado possui índices preocupantes: apenas 23,4% das crianças do terceiro ano são consideradas alfabetizadas.

“Temos um enorme desafio geográfico para alcançar a todos. O trabalho será imenso, mas nos próximos quatro anos o Pará vai ser o Estado que mais cresce em educação do Brasil. Estamos lutando para isso. Está na hora das pessoas conhecerem e reconhecerem o Norte do país, nós seremos referência”, afirma Soares.

Carlos Maneschy, ex-titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), que assumiu a presidência da Prodepa semana passada, diz que o projeto prevê a conexão das escolas em banda larga, através da expansão da rede do governo do Estado gerenciada pela empresa, além da implantação de uma rede Wi-fi.

“Os serviços de lançamento de fibra óptica e adequações internas na escola para a colocação dos rádios Wi-fi de última geração estão sendo adquiridos para o projeto, sendo que a rede interna das escolas, laboratórios, secretaria e os computadores serão de responsabilidade da própria Seduc”, detalha.

O titular da pasta conta que o planejamento do projeto iniciou no final de 2021, mas devido às dificuldades em consequência da pandemia de Covid-19, o mundo inteiro enfrentou muitos entraves para a aquisição de equipamentos. “Com isso o projeto foi lançado efetivamente pelo Governo em novembro de 2022 e o prazo para execução total é dezembro de 2024”, planeja Maneschy.

ABRANGÊNCIA

A lista inicial era de 927 escolas, mas essa relação já aumentou: incluindo outros pontos, como Unidades Regionais de Educação (UREs), USESs e outros polos da Seduc, o projeto alcançará bem próximo de mil unidades contempladas. “O investimento médio ficará, em média, em R$ 60 mil por escola, valor insuficiente para reformar um banheiro, por exemplo. Será uma grande revolução pedagógica e tecnológica que colocará a Educação do Pará num outro patamar”, garante o presidente da Prodepa.

Segundo ele, o projeto é muito importante na medida em que também amplia e fortalece a Rede de Dados do Governo do Estado, rede corporativa que atende ao Governo e seus parceiros. “Quanto maior essa rede e mais unidades estiverem conectadas e mais resiliente for a rede, melhor para todos os órgãos”, diz.

Fonte: Diário do Pará