Tá na Ita, tá legal!

Pará tem saldo positivo na criação de empregos formais e está no topo do ranking da região Norte

Setor de Serviços aparece como o que mais gerou empregos formais no Pará e na região Norte. — Foto: Claudio Vieira/PMSJC
Setor de Serviços aparece como o que mais gerou empregos formais no Pará e na região Norte. — Foto: Claudio Vieira/PMSJC

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/Pa) divulgou novo balanço que mostra a trajetória do emprego formal, ou seja, com carteira assinada, no Pará e na região Norte. O estado voltou a apresentar saldo positivo nos sete primeiros meses deste ano, gerando 31 mil postos de trabalho. O estudo foi feito com base nos dados oficiais do Caged/Ministério do Trabalho e faz parte do Observatório do Trabalho do Estado do Pará.

No ranking nacional, o Pará foi o 11º estado que mais gerou empregos com carteira assinada no mês de julho de 2022. Na região Norte, o estado lidera a geração de empregos.

Emprego formal cresce em julho

 

No comparativo entre admitidos e desligados no mês de julho de 2022, o emprego formal cresceu: foram 35.710 admissões contra 29.759 desligamentos, gerando saldo positivo de 5.951 postos de trabalho.

Em julho de 2021, o saldo também foi positivo e maior que este ano. Foram realizadas 37.780 admissões, 27.757 desligamentos, o que resultou em 10.123 empregos gerados.

De acordo com o Dieese/Pa, todos os setores econômicos apresentaram saldos positivos de empregos formais, com destaque para o setor de serviços, que gerou 1.976 postos de trabalhos. Veja abaixo:

  • Serviços – 1.976 postos de trabalho gerados
  • Construção – 1.491 postos de trabalho gerados
  • Agropecuária – 1.141 postos de trabalho gerados
  • Indústria – 985 postos de trabalhos gerados
  • Comércio – 358 postos de trabalhos gerados

 

Sete primeiros meses de 2022 também apresenta saldo positivo, porém, menor do que em 2021

 

Entre janeiro e julho de 2022, o saldo de empregos formais no Pará também foi positivo. No período, foram feitas 245.354 admissões contra 214.316 desligamentos, gerando um saldo positivo de 31.038 postos de trabalhos.

No mesmo período de 2021, o Pará também apresentou crescimento de empregos formais e foi maior do que neste ano. Foram feitas 238.687 admissões, contra 186.091 desligamentos, gerando um saldo positivo de 52.596 postos de trabalhos .

Nos sete primeiros meses de 2022, todos os setores econômicos apresentaram saldos positivos também com destaque para o setor de serviços, com a geração de 13.375 postos de trabalhos.

Último ano aponta crescimento, com destaque para setor de serviço

 

Nos últimos 12 meses (Ago/2021-Jul/2022), o emprego formal no Pará apresentou crescimento. No período analisado, foram feitas 420.273 admissões contra 369.202 desligamentos gerando saldo positivo de 51.071 postos de trabalhos no estado.

O setor de serviço também aparece na frente na geração de empregos: 16.190 postos criados.

Região Norte

Em julho de 2022, todos os estados da região Norte apresentaram saldos positivos de empregos formais, sendo que o Pará encabeça a lista com a geração de 5.951 postos de trabalhos, seguido do estado do Amazonas, com geração de 3.620 postos de trabalhos, e do Tocantins, com a geração de 2.527 postos de trabalhos.

Rondônia aparece com a geração de 1.557 postos de trabalhos; o estado do Acre com 1.024 postos; o Amapá com 801; e Roraima com a geração de 600 postos de trabalhos.

Ao todo, a região Norte resultou em um saldo positivo de 16.080 postos de trabalhos formais em julho de 2022.

Nos sete primeiros meses de 2022, todos os estados apresentaram crescimento na geração de empregos formais, e mais uma vez o Pará aparece no topo da lista, com a geração de 31.038 postos de trabalhos, seguido do Amazonas (21.987), Rondônia (12.347), Tocantins (10.354), Amapá (5.388), Acre (5.366) e Roraima (4.052).