Tá na Ita, tá legal!

Pará registra uma queda de 45,38% nos casos de dengue

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) divulgou, ontem (22), o primeiro Informe Epidemiológico de 2022 sobre casos de dengue, chikungunya e zika no Pará, apontando uma queda de 45,38% nos casos de dengue nas primeiras seis semanas do ano em relação ao mesmo período de 2021. São 201 casos confirmados contra 368 no mesmo período de 2021.

No entanto, é importante informar que o Pará fechou o ano de 2021 com um aumento de 52,80% de casos da doença em comparação com o ano de 2020, resultado que aponta a necessidade de a população manter as medidas preventivas de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Por isso, com as chuvas que estão ocorrendo atualmente no inverno amazônico, a Sespa volta a chamar a atenção para a importância de as famílias manterem limpos quintais, jardins, interior e arredores da casa, para evitar a proliferação do Aedes aegypti, que também transmite a chikungunya e a zika.

De acordo com o Informe Epidemiológico, neste ano, já há confirmados 201 casos de dengue, sendo 197 de dengue, 03 de dengue com sinais de alarme e 01 caso de dengue grave. Porém ainda há 1.106 casos em investigação pela Vigilância Epidemiológica. Não houve nenhum óbito por dengue. Os municípios com mais casos confirmados são Santana do Araguaia (79), Santarém (34), São João do Araguaia (23) e Conceição do Araguaia (16).

No que tange aos sorotipos circulantes, o que é feito por amostragem, o Laboratório Central do Estado (Lacen-PA) e Instituto Evandro Chagas (IEC) identificaram 03 casos de dengue tipo 1.

Segundo a coordenadora estadual de Arboviroses, Aline Carneiro, para conter o avanço dessas endemias no Estado, a Sespa prossegue realizando oficinas sobre doenças endêmicas, com treinamento para médicos e enfermeiros sobre diagnóstico e tratamento. “Também continuamos a orientar os municípios a retomarem suas atividades após dois anos de pandemia, principalmente para fazerem o levantamento do Índice de Infestação Predial (IIP) de mosquito Aedes aegypti, que é essencial para o desenvolvimento das atividades de vigilância epidemiológica”.

AÇÕES

Neste ano, as principais ações realizadas até o momento são a elaboração do Plano de Contingência Estadual de Dengue, Chikungunya e Zika 2022, distribuição de larvicidas para os CRSs e realização de borrifação em Conceição do Araguaia para controle do Aedes aegypti. “Até o momento, 77 municípios já encaminharam seus Planos Municipais de Contingência para 2022”, informou a coordenadora estadual.

Quanto à febre de chikungunya, o Informe Epidemiológico aponta o registro de 8 casos da doença nessas seis primeiras semanas do ano contra 9 ocorridos no mesmo período de 2021, correspondendo a uma redução de 11,11%. Não houve registro de óbitos pela doença. Todos os casos confirmados ocorreram no município de Santarém. Em relação à febre de zika vírus, por enquanto há cinco casos suspeitos notificados nos municípios de Castanhal, Marituba, Oeiras do Pará e Tucumã e nenhum confirmado.

Fonte: O impacto