Tá na Ita, tá legal!

Pará gerou 42 mil empregos entre janeiro e agosto de 2023

Em agosto deste ano, o Pará figurou na nona posição no ranking dos estados que mais geraram empregos formais no país. O levantamento é do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/Pará), com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged/Ministério do Trabalho. No comparativo entre admitidos e desligados, o Pará gerou 6.903 postos de trabalhos formais neste período.

Os setores econômicos que impulsionaram o crescimento de empregos formais no Estado foram o de construção civil, com saldo positivo de 2.713 postos de trabalhos, seguido do setor de serviços com 1.594 novos postos; o comércio com 1.187 novos postos; a indústria com saldo positivo de 1.179 postos e o setor de agropecuária com 230 novos postos.

No balanço, o Dieese apontou ainda que mais de 42 mil empregos formais foram gerados em solo paraense de janeiro a agosto deste ano. Para quem está em busca de uma vaga, a contratação temporária é uma oportunidade que pode gerar a efetivação no mercado de trabalho, sobretudo no setor de comércio varejista. E com o crescimento dos empregos formais, os lojistas já especulam as contratações de temporários que serão efetuadas até o final deste ano.

Há lojistas que já iniciaram o planejamento para os próximos meses, o que inclui contratações temporárias, visando suprir a demanda das datas comemorativas que costumam aquecer as vendas, como a Black Friday e as festas de fim de ano. O segmento da beleza é um dos que apostam no incremento das vendas nessas datas, conforme explicou Keila Rosário, gerente de uma loja que comercializa produtos para pele, maquiagens, materiais para manicure/pedicure e extensão de cílios.

O estabelecimento realizou três contratações com carteira assinada recentemente e deve contratar entre quatro e cinco temporários a partir do próximo mês. Segundo Keila, as portas estão sempre abertas para novas contratações e para o recebimento de currículos. “Contratamos três funcionários para trabalhar como fiscal de loja e no setor de limpeza. Agora, a expectativa é para novembro, com a Black Friday, e dezembro. O fluxo é muito grande. Ano passado, a gente fez umas quatro ou cinco contratações de temporários. A gente deve manter essa meta. Quando há necessidade de colaboradores, a gente contrata”, destaca.

Depois de passar um ano e três meses desempregado, Daniel Luz, 34 anos, colocou currículo no estabelecimento e foi contratado este mês para atuar como fiscal de loja. “Estava há um ano e três meses procurando emprego. Agora me deram essa oportunidade para trabalhar aqui e estou muito feliz. Soube que a loja estava precisando, coloquei meu currículo e, graças a Deus, fui contratado. As contas estão chegando e a gente tem que trabalhar. Está sendo muito maravilhoso”, declara.

 

Fonte: DOL