Tá na Ita, tá legal!

Outra mulher denuncia anestesista que estuprou grávida

O médico anestesista Giovanni Bezerra foi preso em flagrante no último domingo (10)

 O médico anestesista Giovanni Bezerra foi preso em flagrante no último domingo (10) | Reprodução/Internet

O anestesista Giovanni Bezerra estampou as principais manchetes depois que enfermeiras e técnicas de enfermagem do Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João Meriti, na Baixada Fluminense , gravaram um vídeo do médico colocando o pênis na boca de uma paciente que estava anestesiada durante a realização do parto.

O criminoso, de 31 anos, foi preso na noite do último domingo (10), o que, diante a repercussão do caso, possibilitou que suas vítimas viessem a público. Como foi o caso de uma mulher, seu marido e sua mãe que o reconheceram após os acontecimentos e o denunciassem na 64ª DP.

A vítima relatou que foi atendida pelo anestesista e retornou para o quarto depois do parto com “casquinhas brancas e secas” no rosto. A mulher estava grávida de gêmeos e teve o primeiro filho de parto normal no fim da noite de 5 de julho. Pouco mais de 50 minutos depois, na madrugada de 6 de julho, foi submetida a uma cesárea, mas o bebê não resistiu.

Em entrevista à reportagem do O Dia, a vítima relata ter estranhado o excesso de sono sentido durante o procedimento e teme ter sido dopada naquela noite após ter tido o primeiro filho.

“Eu lembro de ter meu filho e depois disso eu apaguei. Antes disso, eu perguntava a todo momento se era normal sentir sono e ele dizia que sim. Ele a todo momento ficou acima da minha cabeça tentando me acalmar. Eu acredito que fui vítima, não é normal ficar dopada daquele jeito. Eu só fui acordar no outro dia de tarde, eu tentava ficar acordada, mas não conseguia”, relatou a mulher, que deseja Justiça e que o médico anestesista Giovanni Bezerra permaneça preso.

Fonte: O Dia