Tá na Ita, tá legal!

Operação da Polícia Civil combate furto e receptação de fiação elétrica; sucatarias são alvos

Polícia Civil visitou sucatarias na zona urbana de Santarém e Alter do Chão e apreendeu fiação elétrica sem comprovação de procedência — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Polícia Civil visitou sucatarias na zona urbana de Santarém e Alter do Chão e apreendeu fiação elétrica sem comprovação de procedência — Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil de Santarém, oeste do Pará, sob o comando do superintendente regional, delegado Jardel Guimarães, deflagrou na manhã desta quarta-feira (3) a Operação “Chalkós” (do grego – cobre) nas sucatarias na zona urbana da cidade e no distrito de Alter do Chão, para combater o furto e receptação de fiação elétrica.

Segundo o delegado Jardel, os índices de furto desse material vem crescendo no município, causando prejuízos a pessoas físicas, empresas e também ao poder público.

“Nós deflagramos a operação Chalkós na data de hoje viando reprimir o alto índice de crimes de furto de fiação não só na zona urbana de Santarém quanto no distrito de Alter do Chão. E por meio da nossa Delegacia Especializada de Polícia Administrativa, nós deflagramos essa operação que conta com 20 policiais entre delegados, escrivães e investigadores, no sentido de coibir esse tipo de delito. Vale ressaltar que os proprietários foram notificados e alguns foram conduzidos para a delegacia para os procedimentos que o caso requer. Essa é só a primeira fase da operação”, informou Jardel Guimarães.

Ao todo, 18 sucatarias investigadas pela Polícia Civil por suspeita de estarem comprando o cobre retirado de fios elétricos furtados em Santarém e Alter do Chão foram notificadas na operação da Polícia Civil.

“Nós verificamos se a atividades das sucatarias estaria regularizada, e identificamos que muitos desses estabelecimentos não estão regularizados. E verificamos que em todas elas havia muito fio. Conversamos com as pessoas que estavam nesses locais e orientamos que na próxima fase haverá busca e apreensão, justamente para fazer o procedimento legal, porque a maioria do cobre que estava ali não tem comprovação de procedência. Orientamos que eles não comprem material objeto de furto”, explicou o delegado Herbert Farias Jr.

Ainda de acordo com o titular da DPA, delegado Herbert Farias Jr, os proprietários das sucatarias deverão prestar esclarecimentos no inquérito instaurado para apurar furto de cobre no município.

Material desviado de uma empresa por um representante em Santarém, foi apreendido durante a operação, no momento em que o representante tentava vender o cobre em uma sucataria.

Fonte: G1 Santarém