Tá na Ita, tá legal!

Operação da PF mira suspeitos de esquema que movimentou quase R$ 6 bilhões em contrabando e garimpo ilegal em Terra Yanomami

 

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (20) a operação Eldorado, com o objetivo de prender suspeitos de liderarem um esquema de contrabando e venda de ouro extraído de garimpos ilegais na Terra Yanomami e da Venezuela. A suspeita é que a ação ilegal movimentou quase R$ 6 bilhões.

 

Foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva e 40 de busca e apreensão nos estados de Roraima, Amazonas, Goiás e Distrito Federal, expedidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária de Boa Vista, capital de Roraima.

 

Uma das prisões ocorreu em Boa Vista: Airel Silva Magalhães, empresário que é suspeito de intermediar a saída do ouro ilegal das TIs Yanomami.

 

O outro alvo foi preso em Anápolis, em Goiás. Segundo a PF, Brubeyk do Nascimento seria negociador do ouro extraído em garimpos ilegais nas TIs Yanomami e teria montado um esquema de remessas para o exterior.

 

O esquema investigado pela PF envolveria o contrabando de ouro venezuelano, o qual entraria clandestinamente Brasil como pagamento pela exportação de alimentos por mercados de Roraima e do Amazonas.

Transportadoras contratadas esconderiam no dentro de caminhões o ouro contrabandeado, que entrariam em Roraima sem os procedimentos necessários e pagamento de tributos.

 

Posteriormente, o minério seria comprado por outros integrantes do esquema e enviado para empresas atuantes no ramo de exploração de minério aurífero, responsáveis por concretizar o pagamento aos supermercados e às distribuidoras de alimentos.

 

Segundo o inquérito, os principais investigados desse esquema também teriam envolvimento com a exploração clandestina do minério em Terras Indígenas Yanomami e em garimpos espalhados em outros estados.

 

Além dos mandados de prisão e buscas, a Justiça também determinou a indisponibilidade de ativos financeiros, veículos e aeronaves dos investigados.

 

 

Fonte: G1

Imagem: Reprodução