Tá na Ita, tá legal!

Mulher se nega a ‘ficar’ com homem em festa, e ele a mata a pauladas

Foto: Reprodução

Uma mulher de 31 anos foi morta a pauladas na madrugada de sexta-feira (2/6), no município de Dores de Campos, no Campo das Vertentes, em Minas Gerais, após o término de uma festa no Parque de Exposições da cidade. O suspeito é um homem de 32 anos, que pediu para “ficar” com a vítima. Ao ouvir “não”, ele se irritou e iniciou as agressões.

Segundo o registro da ocorrência, a mulher estava acompanhada de uma amiga. Ela contou à PM que, por volta das 3h, o homem se aproximou delas e pediu para ficar com a vítima. Ao ter o pedido negado, o rapaz se irritou e passou a empurrá-la.

Na sequência, ele teria dito que “iria pegá-la lá fora [área externa ao parque]” e a chamou de “piranha” e “vagabunda”. Ainda segundo depoimento da amiga, eles iniciaram uma discussão, e o homem, portando um pedaço de madeira de uma cerca, acertou a mulher na cabeça. Ela caiu no chão, mas as agressões continuaram, mesmo com a vítima já desacordada.

A Polícia Militar foi acionada por um homem, que relatou às autoridades estar do lado de fora do parque depois do término do evento — intitulado Feira de Artesanato e Indústria de Dores de Campos (FAIDEC) — , quando viu a mulher, caída no chão, sendo atingida pelo suspeito.

Segundo ele, outras pessoas que flagraram a cena interromperam as agressões, mas a mulher já tinha sido brutalmente espancada. Então, o homem foi contido e imobilizado no chão por populares até a chegada da polícia.

Policiais militares, e posteriormente profissionais de saúde, realizaram manobras de ressuscitação cardiopulmonar, mas não obtiveram êxito. A vítima foi conduzida a um hospital do município, porém deu entrada na unidade já sem vida.

O homem foi preso em flagrante por feminicídio. Questionado pelos militares, ele disse que não se recordava dos fatos, segundo a ocorrência.

O corpo da vítima foi conduzido ao Instituto Médico-Legal (IML), em São João del-Rei, depois das diligências periciais preliminares a cargo da Polícia Civil, que agora conduzirá as apurações do crime.

Fonte: Correio Braziliense