Tá na Ita, tá legal!

Morre adolescente com suspeita de febre maculosa após festa em Campinas; outros 3 que estiveram no evento morreram com a doença

Carrapato-estrela, transmissor da bactéria causadora da Febre Maculosa. Foto: Prefeitura de Jundiaí

A Secretaria de Saúde de Campinas (SP) confirmou que a adolescente de 16 anos que estava internada com suspeita de febre maculosa morreu na noite desta terça-feira (13). A adolescente estava hospitalizada desde o dia 9 de junho, poucos dias depois de ir a uma festa na Fazenda Santa Margarida, no distrito de Joaquim Egídio. Outras três pessoas que estiveram no mesmo evento morreram e já tiveram a doença como causa confirmada.

Segundo a pasta, a menina estava em um hospital particular da metrópole. Até a última atualização desta reportagem, o Instituto Adolfo Lutz não havia divulgado exames para confirmar ou descartar o diagnóstico de febre maculosa.

Segundo o Ministério da Saúde, “a febre maculosa é uma doença infecciosa, febril aguda e de gravidade variável”, ou seja: há formas clínicas leves e formas graves, “com elevada taxa de letalidade”. A doença é causada por duas bactérias do gênero Rickettsia, e a transmissão ocorre por picada de carrapato, sobretudo aquele conhecido como carrapato estrela.

A febre maculosa não é transmitida diretamente de pessoa para pessoa, por contato. Os sintomas podem ser facilmente confundidos com outras doenças que causam febre alta.

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo alerta que pessoas que moram ou se deslocam por áreas de transmissão fiquem atentas ao menor sinal de febre, dor no corpo, desânimo, náuseas, vômito, diarreia e dor abdominal e que procurem um serviço médico. Lá, devem informar que estiveram nessas regiões, para evitar o agravamento do quadro. O tratamento é realizado com antibiótico específico.

Outras mortes

 

O Instituto Adolfo Lutz confirmou também nesta terça-feira duas mortes por febre maculosa. A amostra do piloto Douglas Costa, de 42 anos, deu positiva para a doença.  A confirmação da morte da namorada do piloto, Mariana Giordano, de 36 anos, saiu na segunda-feira (12).

O piloto Douglas Costa e a namorada Mariana Giordano morreram após terem febre e manchas pelo corpo
O piloto Douglas Costa e a namorada Mariana Giordano morreram após terem febre e manchas pelo corpo. Reprodução/Instagram

Além deles, outra jovem, de 28 anos, também morreu com a doença, segundo a Secretaria da Saúde de São Paulo.

Evelyn Santos morava em Hortolândia (SP) e morreu após ter febre maculosa — Foto: Elisângela Souza/Arquivo Pessoal
Evelyn Santos morava em Hortolândia (SP) e morreu após ter febre maculosa — Foto: Elisângela Souza/Arquivo Pessoal

Essas três pessoas e a adolescente estiveram na Fazenda Santa Margarida no dia 27 de maio, quando o local sediou o evento “Feijoada do Rosa”, que tem 22 anos de tradição. O evento contou com a apresentação de vários DJs.

Douglas e Mariana passaram a ter sintomas de febre, manchas avermelhadas pelo corpo e dores no dia 3 de junho e morreram cinco dias depois. Já a jovem de 28 anos apresentou febre, cefaléia, choque e crise convulsiva, e morreu também em 8 de junho.

Com essas três mortes, vai a seis o número de mortos com a doença no estado de São Paulo.

“Em 2023, foram registrados 12 casos de febre maculosa com 6 óbitos, incluindo os três confirmados desde segunda-feira (12) em todo o estado. Em 2022, foram registrados 53 casos, com 37 óbitos confirmados. Já em 2021, foram 76 casos e 42 óbitos”, diz boletim do Adolfo Lutz.

Fazenda tem eventos suspensos

 

22ª edição da 'Feijoada do Rosa', na Fazenda Santa Margarida, no distrito de Joaquim Egídio, em Campinas  — Foto: Redes sociais
22ª edição da ‘Feijoada do Rosa’, na Fazenda Santa Margarida, no distrito de Joaquim Egídio, em Campinas — Foto: Redes sociais

Diante dos casos, a Prefeitura de Campinas disse que a fazenda vive um surto da doença e que, por isso, ela só poderá fazer novos eventos quando apresentar um plano de contingência ambiental e de comunicação. A administração municipal explicou que a suspensão dos eventos não significa uma interdição da fazenda.

Em nota, a fazenda disse que sempre age de acordo com as exigências relacionadas à Vigilância Sanitária e que mantém um “rigoroso processo de manutenção e cuidados em relação ao espaço”.

“A Fazenda Santa Margarida se coloca à disposição das autoridades competentes para qualquer auxílio necessário na investigação desse triste acontecimento”, disse.

Já a organização do evento se solidarizou com amigos e familiares das vítimas e alegou que não houve “correlação entre as atrações oferecidas com as causas anunciadas”.

“Até o momento, não se pode descartar que as contaminações tenham eventualmente ocorrido durante essa frequência na Fazenda Santa Margarida, mesmo porque a Vigilância Sanitária local veio à público reforçar que a cidade de Campinas ganha especial expressão como foco da referida doença”, completou.

Casos no estado de SP

 

Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde, na região metropolitana da capital paulista, há pouquíssimos registros dada a urbanização da área.

No interior do estado, a doença passou a ser detectada a partir da década de 1980, nas regiões de Campinas, Piracicaba, Assis, em áreas mais periféricas da região metropolitana de São Paulo e no litoral, mas em uma versão mais branda. Os municípios de Campinas e Piracicaba são, hoje, os dois que apresentam o maior número de casos registrados da doença.

Em 2023, foram registrados 9 casos de febre maculosa e 3 óbitos.

As regiões onde existe transmissão de febre maculosa no estado de São Paulo podem ser encontradas em mapas interativos no formato de QR code, no site do CVE ou em publicações como o BEPA.”

Casos no país

 

Em nota, o Ministério da Saúde disse que mantém contato com o Centro de Vigilância Epidemiológica do estado de São Paulo e com o Centro Informações Estratégicas De Vigilância Em Saúde (CIEVS-Nacional) para acompanhar as investigações do caso.

A pasta ainda afirma que realiza a distribuição de antimicrobiano para o tratamento da febre maculosa aos estados e vem promovendo ações de capacitações direcionadas às vigilâncias estaduais e municipais, assim como vem realizando a divulgação de diretrizes técnicas com orientações de manejo clínico e ambiental.

Mortes por conta da doença no país até início do mês:

  • 2020: 191 casos
  • 2021: 231 casos
  • 2022: 190 casos
  • 2023: 48 casos

 

Quais são os sintomas da doença?

 

Conforme o Ministério da Saúde, os principais sintomas da doença são:

  • Febre
  • Dor de cabeça intensa
  • Náuseas e vômitos
  • Diarreia e dor abdominal
  • Dor muscular constante
  • Inchaço e vermelhidão nas palmas das mãos e sola dos pés
  • Gangrena nos dedos e orelhas
  • Paralisia dos membros que inicia nas pernas e vai subindo até os pulmões, causando paragem respiratória

Fonte: G1