Tá na Ita, tá legal!

Menina de 11 anos violentada por padrasto teve filho em casa

Exames realizados comprovaram que a menina, de 11 anos, sofria estupros recorrentes

 Exames realizados comprovaram que a menina, de 11 anos, sofria estupros recorrentes | Reprodução/Internet

Uma criança estava desaparecida na comunidade de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, há cerca de dois anos. Seu desaparecimento preocupava os mais próximos, além da comunidade escolar onde frequentava quando, na época, tinha apenas 9 anos de idade.

Dois anos depois e, para a surpresa até de vizinhos, a triste revelação: a menina vivia em cárcere e estava com um bebê no colo.

O caso aconteceu na última sexta-feira (15) depois que a criança, hoje com 11 anos, entrou em uma ambulância com o próprio bebê a caminho de um hospital depois de ter tido complicações pós-parto. As informações são do jornal Extra.

A delegada do caso, Fernanda Fernandes, conta que a criança não chegou nem a aprender a ler ou escrever, parou de frequentar a escola e estava desaparecida desde então. Quando a polícia soube do caso, a mãe e o padrasto alegavam que não sabiam da gravidez, mas profissionais de saúde e assistentes sociais que atenderam a vítima suspeitaram da história.

Diligências

Exames foram realizados no hospital e foi constatado que a menina sofria estupros recorrentes, indicando que os abusos eram cometidos por alguém dentro da casa onde ela morava.

Além do padrasto, que foi preso acusado de estuprá-la e mantê-la em cárcere, a mãe da menina também está sendo investigada. Se comprovada sua participação, poderá ser enquadrada nos crimes de abandono intelectual e omissão de notificação.