Tá na Ita, tá legal!

Golpe das rifas: o que se sabe até agora do mega esquema?

Imagem ilustrativa da notícia Golpe das rifas: o que se sabe até agora do mega esquema?
Ostentação dos influencers nas redes sociais chamou atenção da polícia. | ( Divulgação )

Na última quinta-feira (29), a Polícia Civil do Amazonas deflagrou a Operação Dracma, que resultou na desarticulação de uma organização criminosa composta por influenciadores digitais de Manaus,eles atuavam em um esquema fraudulento de rifas clandestinas e diversos crimes.

A ação ocorreu no bairro Novo Aleixo, zona norte, e em uma loja no bairro Parque Dez de Novembro, zona centro-sul.

Foram presos em flagrante os influenciadores João Lucas da Silva Alves, de 24 anos, conhecido como “Lucas Picolé”; e Enzo Felipe da Silva Oliveira também de 24 anos, o “Mano queixo”. Na ocasião eles possuíam drogas sintéticas (LSD), munições e uma motocicleta adulterada.

Golpe das rifas: o que se sabe até agora do mega esquema?
📷 |(FOTO: PC AMAZONAS )

“Lucas Picolé”, também foi autuado por receptação qualificada, juntamente com sua cunhada, Flávia Ketlen Matos da Silva, de 34 anos. A influenciadora digital Isabelly Aurora também foi alvo de mandados de busca e apreensão e indiciada.

O delegado-geral da PC-AM, Bruno Fraga, destacou o êxito da Operação Dracma, que culminou em prisões e apreensões de diversos materiais adquiridos de forma ilícita. “Apresentamos à população mais um trabalho de excelência desempenhado pela Polícia Civil, cujo objetivo principal foi desmantelar esse grupo criminoso que atuava na lavagem de capital, fraudes, entre outros crimes”, afirmou

O delegado responsável pela operação, Cícero Túlio, revelou que os policiais já vinham investigando o grupo há cerca de cinco meses. As investigações apontaram que os influenciadores atuavam promovendo a divulgação de sorteios clandestinos em um sistema de premiação sem registro, por meio das redes sociais, e escoando posteriormente os valores, a fim de dissimular e ocultar, dificultando a atuação de autoridades de fiscalização e controle por parte do Ministério da Economia.

“O grupo escoava os valores obtidos na compra de veículos de luxo. ‘Lucas Picolé’ e Flávia Ketlen mantinham esses valores levantados e montaram uma empresa de fachada.” Revelou.

A Polícia Civil também apurou que parte dos prêmios das rifas e sorteios já são comprados em nome dos ganhadores antes mesmo deles ocorrerem, levando a crer que em alguns casos o próprio ganhador tem participação no esquema criminoso.

“Eles anunciam rifas de veículos avaliados em mais de R$ 200 mil, cuja disputa se dá pela aquisição de bilhetes eletrônicos vendidos por centavos. Os valores arrecadados nos golpes são escoados na compra de veículos de luxo, aluguéis e aquisição de imóveis de alto padrão, além de serem reinvestidos em uma loja de marcas de grife que comercializa produtos falsificados”, relata Cícero.

Golpe das rifas: o que se sabe até agora do mega esquema?
📷 |(FOTO: PC AMAZONAS )

A Polícia também identificou a ligação dos investigados com influenciadores de outros estados do país, que utilizam a mesma plataforma de sorteios, lavando a crer que existe uma grande rede de criminosos que operam esse esquema em todo Brasil.

A Polícia acredita que mais de R$ 5 milhões tenham sido movimentados em dois anos pela organização criminosa, e as buscas para saber para onde o valor foi escoado continuam sob investigação. Entre os crimes estão estelionato, lavagem de dinheiro, associação criminosa, fraude no comércio, receptação qualificada, promoção de jogos de azar, publicidade enganosa e crimes contra as relações de consumo.

Durante a ação da Polícia, foram apreendidos seis veículos de luxo e uma motocicleta, além de drogas sintéticas (LSD), munições de fuzil e mais de uma tonelada de material de vestuário falsificados como roupas e bonés, de marcas famosas.

Golpe das rifas: o que se sabe até agora do mega esquema?
📷 |(FOTO: PC AMAZONAS )


Fonte: Com informações de No Amazonas é Assim