Tá na Ita, tá legal!

Fonoaudióloga é suspeita de violentar crianças autistas

Investigação apura tapa, paciente trancado e toque em genitais dentro de consultório de fonoaudióloga em Duartina, no interior de São Paulo.

 Investigação apura tapa, paciente trancado e toque em genitais dentro de consultório de fonoaudióloga em Duartina, no interior de São Paulo. | Reprodução

Uma fonoaudióloga, identificada como Bianca Rodrigues Lopes Gonçalves, é suspeita de agredir e torturar crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) em sua clínica particular em Duartina, no interior de SP.

Bianca Rodrigues Lopes Gonçalves, suspeita

De acordo com a polícia, denúncias de várias mães, ouvidas pelo g1 e não identificadas pela reportagem, apontam que supostamente a profissional teria ofendido as crianças.

“Cagou minha sala inteira. Filho da p***”, dizia uma das mensagens enviadas pela fonoaudióloga.

As denúncias foram feitas por uma ex-funcionária que foi contratada como acompanhante terapêutica. Ela decidiu ir à polícia quando viu um menino levar um tapa e fez vídeos, fotos e áudios das agressões.

Maus tratos

Em depoimento, uma mãe disse que seu filho de 3 anos relatou que a “tia” tocava em seu órgão genital. Outra mãe descobriu que seu filho de 9 anos ficava trancado em uma sala. Uma foto mostra a criança, que possui autismo severo, com as mãos apoiadas em um vidro. A mãe contou que seu filho voltava para casa urinado e sem camiseta.

A mãe de um menino de 6 anos, diagnosticado com autismo em grau severo, acusou a fonoaudióloga de ter dado um tapa na boca da criança depois que ele a mordeu.

A defesa da fonoaudióloga disse que por não haver ainda um inquérito formal é preciso cautela e prudência ao se analisar as denúncias “tanto em respeito à pessoa das acusadas como às supostas vítimas”.

Ainda em comunicado, a defesa afirmou que a fonoaudióloga está colaborando com as investigações policiais. No entanto, a família da investigada teve de sair de casa por temer represálias.

Fonte: Metropoles e G1