Tá na Ita, tá legal!

Estelionatário da ‘CNH’ faz dezenas de vítimas em Santarém; uma delas comprou um carro para o suspeito

Nesta semana, mais de 50 pessoas procuraram a 16ª Seccional de Polícia Civil para registrar boletim de ocorrência contra um homem suspeito de estelionato.

As vítimas o identificaram como José Carlos Oliveira, aparentando idade acima de 50 anos. Ele se dizia proprietário de autoescola, e realizava atendimento na comunidade do Jacamim, em Santarém.

Os denunciantes dizem que ele teria recebido dinheiro referente aos serviços para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), mas sumiu.

Suspeito.

Kayke, de 19 anos, estava no processo para as categorias A/B, e acabou sendo uma das vítimas do suspeito de estelionato. Seu prejuízo chega a R$ 2.400,00.

“Fiz o exame psicotécnico, depois disso, só mandava aula dia de sábado. Aí eu soube da notícia ontem, que ele tinha sumido. Aí estamos aqui para ver se a gente consegue alguma coisa. A gente trabalha tanto, né! pra tirar uma carteira, aí acontece isso aí”, disse indignado.

Outra vítima que falou à repórter Lorenna Morena, da Tv Impacto, foi Francisco Castanho Barbosa de Sousa, de 74 anos, morador da Comunidade Estrada Nova.

“Paguei R$ 2 mil, mas era R$ 3.500,00 para tirar carteira A/B. Eu estava para o Chapadão, cheguei e tive a noticia que ele tinha fugido. A carteira era para ser entregue agora, dia 20. Ele aproveitou para fazer uma foto para mandar para Belém, para vim a carteira, a profissional; Eu ia pegar a reserva, aí o homem aproveitou a oportunidade e sumiu”.

O aposentando confirma que os atendimentos eram no Jacamim, mas depois mudou para um escritório na avenida Muiraquitã, bairro da Interventoria, em Santarém.

“O prazo era dia 20 para receber a reserva e agora estou preocupado porque R$ 2 mil é 2 mil reais, né? Eu ia pagar o restante do valor, quando recebesse a carteira, não ia mais soltar dinheiro, já tava desconfiando de uma moto que ele vendeu alienada lá pro Jacamim e Tipizal. Aí foi uma bronca danada, até que resolveram”.

Mulher comprou um carro para o suspeito

Entre as vítimas que procuraram a polícia até o momento, nenhuma teve mais prejuízo do que a trabalhadora Tereza.

Moradora da Comunidade de Olho D’água, tem três filhos para sustentar. Há dois meses conheceu o estelionatário.

Conforme seu relato,  estava trabalhando em um lava rápido, e ele chegou e a  elogiou, convidando que fosse trabalhar na autoescola. Pretendendo trabalhar em melhores condições, ela aceitou o convite.

“Ele me enrolou. Fez compras utilizando o meu nome, dizendo que iria pagar e, ao mesmo tempo, me ajudar. Fez até eu comprar um carro”.

Segundo a vítima, o estelionatário dizia precisar do carro para dar as aulas na autoescola.

“Você me ajudando, eu vou te ajudar”, argumentava o infrator da lei à Tereza, que não soube informar se ele chegou a pagar parcelas da dívida. “Cada parcela é mais de mil reais”, disse ela desesperada.

 

Fonte: O Impacto