Tá na Ita, tá legal!

Empresa confirma morte dos cinco tripulantes do submarino

Imagem ilustrativa da notícia Empresa confirma morte dos cinco tripulantes do submarino
CEO da Ocean Gate, Stockton Rush; Hamish Harding; Paul-Henry Nargeolet;Suleiman Dawood e Shahzada Dawood | Reprodução

A empresa responsável pelo submarino desaparecido no norte do Oceano Atlântico, a OceanGate, confirmou a morte dos cinco tripulantes que estavam a bordo do Titan. “Lamentamos morte da tripulação”, disse a empresa em comunicado enviado a CNN Internacional, nesta quinta-feira, 22.

Mais cedo a Guarda Costeira dos Estados Unidos encontrou os destroços do Titan. Partes do submarino estavam a 500 metros de distância da proa do Titanic, a 3.800 metros de profundidade. “Os destroços são consistentes com uma perda catastrófica de pressão do submersível”, disse oficial da Guarda Costeira durante coletiva de imprensa.

As vítimas do acidente são o bilionário britânico Hamish Harding, 58, o empresário paquistanês Shahzada Dawood, 49, e e seu filho Suleiman Dawood,19, Paul-Henri Nargeolet, 73, especialista nos destroços do Titanic e mergulhador, e Stockton Rush, 61, CEO da OceanGate Expeditions.

Na manhã de hoje, a sonda canadense Horizon Arctic, juntamente com 2 robôs especializados em exploração submarina, alcançaram a profundidade máxima do Oceano Atlântico dentro da área de busca designada, abrangendo aproximadamente 20 mil metros quadrados.

Embarcação já tinha realizado mais de 20 expedições aos destroços do Titanic
📷 Embarcação já tinha realizado mais de 20 expedições aos destroços do Titanic |Reprodução

Entenda o caso

O submarino utilizado para expedições aos destroços do Titanic, que desapareceu, pertence à empresa OceanGate. Os destroços do famoso navio, que afundou em 1912, estão localizados a aproximadamente 600 km da costa do Canadá a 3.800 metros de profundidade.

O veículo desapareceu no domingo, 18. A comunicação com o submersível foi perdida a 1h45m do início da expedição, mas a empresa só notificou as autoridades sobre o desaparecimento 8 horas depois. As guardas costeiras dos Estados Unidos e do Canadá realizaram operações de busca e resgate com helicópteros, navios e sondas controladas remotamente. Inicialmente temia-se que a tripulação ficasse sem oxigênio já que o submersível tinha capacidade de oxigênio para 96 horas.

A OceanGate cobra US$ 250 mil (R$ 1,19 milhão) por passageiro para participar de suas expedições e ter a oportunidade de observar os destroços do navio. O submersível levava em média 2,5 horas para chegar ao local dos destroços, que se encontra a uma profundidade de 3.800 metros no Oceano Atlântico.

VÍDEO mostra a simulação de como é uma implosão que ocasionou a morte dos tripulantes que estavam no submarino desaparecido no oceano atlântico.

Fonte: Terra