Tá na Ita, tá legal!

‘Dia D’ da vacinação contra a poliomielite no Pará aumenta em 10% a cobertura vacinal

Adultos com as crianças na unidade móvel da Sespa instalada ao lado da Basílica Santuário de Nazaré, em Belém
Adultos com as crianças na unidade móvel da Sespa instalada ao lado da Basílica Santuário de Nazaré, em Belém

A ação do “Dia D” da Campanha de Vacinação Contra a Poliomielite, realizada pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), promoveu um aumento de 10% na cobertura vacinal. Até a sexta-feira (21), o Estado do Pará registrava 47% do público-alvo vacinado contra a paralisia infantil e ao fim do sábado (22), ‘Dia D’ da vacinação contra a poliomielite, o percentual subiu para a marca de 57% de crianças vacinadas. A meta é atualizar a imunização de 95% das crianças abaixo de 5 anos.

Todos os 144 municípios foram instruídos a intensificar as estratégias de imunização, quando possível aumentando o número de locais de aplicação da vacina e a quantidade de profissionais disponíveis para a campanha.

A ação foi alusiva ao Dia Mundial de Combate à Poliomielite – 24 de Outubro. A iniciativa de intensificar a imunização contra a doença é fundamental para a ampliação da cobertura vacinal contra a poliomielite no Pará.

A equipe da Secretaria esteve vacinando na unidade móvel instalada ao lado da Basílica Santuário de Nazaré, em uma carreta do Projeto TerSaúde, vinculado ao Programa Territórios pela Paz – TerPaz; em Icoaraci, e nas escolas estaduais Waldemar Henrique, no Bengui; e Princesa Isabel, no bairro do Atalaia.

A chefe da Divisão de Imunização da Sespa, Jaíra Ataíde, que acompanhou a vacinação no sábado, destaca que a campanha continua até o fim de outubro. “O movimento na unidade móvel foi acima das nossas expectativas. E a campanha não acabou hoje. Os postos continuam vacinando até 31 de outubro. Contamos com as famílias para manter a pólio erradicada no nosso Estado”, ressaltou.

Posto de vacinação – A unidade móvel, ao lado da Basílica, terminou os trabalhos no domingo (23), encerrando o atendimento às 17h, devido ao final da quadra nazarena. Mas a população pode procurar as Unidades Básicas de Saúde para atualizar o cartão de vacinação.

Combate à negligência – A poliomielite é considerada uma doença erradicada no Brasil desde 1994, mas a vacinação continua sendo fundamental para manter o País nessa condição. No entanto, muitas famílias em todas as unidades da Federação vêm negligenciando a proteção das crianças, não dando a devida importância à imunização e à gravidade da paralisia infantil.

Alguns países já registraram o retorno da doença, principalmente na Ásia e África. Nos Estados Unidos e no Reino Unido já foram encontradas amostras de água contaminada pelo vírus da pólio, por isso os dois países intensificam as campanhas de vacinação.

De acordo com a Sespa, outro fator crucial para a baixa cobertura vacinal contra a poliomielite é o crescimento de movimentos contra as vacinas e a divulgação de notícias falsas sobre a vacinação, o que só atrapalha o País a alcançar a meta de cobertura vacinal.

A secretaria assinala que o Brasil tem uma história importante no combate a doenças por meio da vacinação. O imunizante contra a paralisia infantil é utilizado no País desde os anos 1960, e foi fundamental para mudar a realidade de gerações que se acostumaram a ver pessoas convivendo com sequelas da doença, como as atrofias musculares, principalmente nas pernas.

Com informações  – Ascom / Sespa