Tá na Ita, tá legal!

Denúncia: Instituto Onça-pintada é multado por morte de 72 animais

Divulgação/ IOP

 

O Instituto Onça-Pintada (IOP), sediado em Mineiros (GO), criado em 2002 com a missão de promover a conservação da onça-pintada, suas espécies de presas naturais e de seus habitats, não tem cumprido suas com suas obrigações. Pelo menos é o que revela uma reportagem publicada pelo site Metrópoles.

De acordo com a publicação, pelo menos 72 animais sob a guarda da ONG morreram nos últimos sete anos por negligência ou imperícia, revela relatório do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Ainda de acordo com o Ibama, macacos, veados, pássaros, lobos e onças morreram por uma suposta displicência do criadouro conservacionista. Os bichos foram predados por animais silvestres, envenenados, picados por serpentes ou espancados por similares. Do total, 52 são espécies ameaçadas de extinção.

Devido a suposta negligência detectada, o IOP foi multado em junho deste ano pelo Ibama em um total de R$ 452 mil. Três infrações foram aplicadas: por matar 72 espécimes da fauna silvestre nativa em desacordo com a autorização obtida; por praticar maus tratos aos 72 animais ao não lhes garantir segurança nos recintos em que estavam presos; e por fazer funcionar atividade utilizadora de recursos ambientais contrariando normas legais ao expor os bichos.

O Ibama também decidiu, ao visar a segurança dos animais, que o Instituto Onça-Pintada seja embargado para as atividades de visitação, recebimento, destinação, alienação (a qualquer justificativa) e reprodução de espécimes até a apresentação de projetos de conservação adequados.

Além dos 72 óbitos por negligência ou imperícia, outros 53 animais morreram no criadouro desde 2017, segundo o levantamento do Ibama. O dano ambiental pode ser maior ainda, uma vez que a causa da morte é descrita como desconhecida em 17 casos.

Fonte: Com informações de Metrópoles