Tá na Ita, tá legal!

Corpo carbonizado é encontrado em cova rasa em Castanhal

O desaparecimento de Guilherme de Souza Neves, 30 anos, teve um desfecho trágico quando a Polícia Civil localizou a motocicleta dele em posse de uma mulher de identidade Ana Vitória. O achado levou as autoridades até a casa de um homem identificado como Márcio Max Barata, que confessou o assassinato. A família foi informada na manhã desta quarta-feira (8). O jovem estava desaparecido desde o dia 29 de outubro.

De acordo com investigações preliminares, o delegado responsável pelo caso revelou que a vítima foi morta com tiros de uma arma de calibre 32.

O assassino admitiu ter contado com a ajuda de um menor de 18 anos para cavar uma cova rasa no quilômetro 07 de uma rodovia em Castanhal, onde o corpo de Guilherme foi carbonizado na tentativa de ocultar o crime.

Moto e celular encontrado com Ana Vitória

A motocicleta encontrada com Ana Vitória foi identificada como sendo a mesma de Guilherme, embora tenha sido modificada. Além disso, o celular da vítima estava com a suspeita. Todo o material apreendido será submetido à perícia para auxiliar nas investigações.

Motivo: dívida

Segundo a Polícia Civil, o motivo aparente do crime é uma dívida de 3 mil reais que Guilherme tinha. No entanto, outras linhas de investigação estão em curso. Além dos dois detidos e do menor apreendido, a divisão de homicídios procura identificar o mandante do assassinato.

Exames de DNA

A família de Guilherme deve realizar exames de DNA na Polícia Científica de Castanhal ainda nesta quarta-feira para confirmar a identidade dos restos mortais encontrados. O resultado dos exames deve ser divulgado em até 30 dias.

Investigação

Guilherme de Souza, estava desaparecido desde 29 de outubro. O caso está sob investigação da Divisão de Homicídios, que busca esclarecer todos os detalhes desse trágico episódio.

 

Fonte: DOL