Tá na Ita, tá legal!

Concurso Nacional Unificado: comissão organizadora formada

O Concurso Nacional Unificado já conta com comissão organizadora formada. O grupo, composto por representantes indicados por cada órgão que fará parte da seleção, foi anunciado por meio de publicação no diário oficial da União desta segunda-feira, 20 de novembro. A seleção segue em fase de escolha da banca organizadora, que deve ser anunciada no decorrer dos próximos dias, uma vez que o edital está previsto para ser publicado em 20 de dezembro.

Ao todo, três bancas seguem na disputa em análise no Ministério da Gestão:

  • Fundação Cesgranrio
  • FGV
  • Cebraspe

Ao todo, o concurso já conta com 6.640 vagas confirmadas, distribuídas pelos órgãos da seguinte forma:

  • Funai – 502 vagas
  • Incra – 742 vagas
  • MAPA – 520 vagas
  • Ministério da Gestão e cargos transversais – 1.480 vagas
  • Ministério da Saúde – 220 vagas
  • Ministério do Trabalho e Emprego – 900 vagas
  • Antaq – 30 vagas
  • MDIC – 110 vagas
  • Previc – 40 vagas
  • ANEEL – 40 vagas
  • ANS – 35 vagas
  • IBGE – 895 vagas
  • Ministério da Justiça – 130 vagas
  • MCTI – 296 vagas
  • Ministério da Cultura – 50 vagas
  • Advocacia Geral da União – 400 vagas
  • Ministério da Educação – 70 vagas
  • MDHC – 40 vagas
  • MPI – 30 vagas
  • MPO – 60 vagas
  • Inep – 50 vagas

As vagas serão distribuídas por oito blocos temáticos, da seguinte forma:

  • Administração e Finanças Públicas;
  • Setores Econômicos, Infraestrutura e Regulação;
  • Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário;
  • Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação;
  • Políticas Sociais, Justiça e Saúde;
  • Trabalho e Previdência;
  • Dados, Tecnologia e Informação; e
  • Nível Intermediário.

De acordo com nota publicada em 10 de outubro, no jornal O Estado de São Paulo, algumas disciplinas que deverão ser cobradas são as seguintes:

  • direito constitucional
  • estrutura e funcionamento da administração pública
  • direito administrativo
  • valorização do ethos público
  • realidade brasileiro e relações do Estado
  • políticas públicas e desenvolvimento nacional
  • Concurso Nacional Unificado: veja o cronograma preliminar da seleção
  • publicação do edital de abertura de inscrições – 20 de dezembro de 2023
  • aplicação das provas – até março de 2024
  • resultado da etapa unificada – até maio de 2024
  • cursos de formação (quando houver) – até junho de 2024
  • posse dos novos servidores – até agosto de 2024

Saiba como serão as provas

A aplicação das provas está preliminarmente prevista para 25 de fevereiro. No entanto, o secretário geral de gestão de pessoas do Ministério da Gestão e da Inovação dos Serviços Públicos, José Celso Cardoso Júnior, já havia afirmado que está sendo avaliada a possibilidade de alterar a aplicação para março, no sentido de permitir aos candidatos um maior tempo de preparação.

O secretário de gestão de pessoas já havia adiantado, ainda, que os candidatos poderão pagar uma taxa de inscrição para concorrer em vários órgãos. A inscrição poderá ser feita para diversos cargos de uma mesma área temática, com indicação da ordem de preferência.

A aplicação das provas deve ocorrer em aproximadamente 180 cidades, o que não significa que a lotação das vagas será nas mesmas localidades. A grande maioria das oportunidades será reservada para Brasília (DF).

O exame deverá ser realizado em cerca de 180 cidades em todo o país, nas regiões definidas abaixo:

  • 30 municípios do Norte;
  • 50 municípios do Nordeste;
  • 18 municípios do Centro-Oeste;
  • 49 municípios do Sudeste; e
  • 23 municípios do Sul.

A seleção contará com as seguintes etapas:

  • provas objetivas gerais, etapa comum para todos os candidatos
  • provas objetivas e dissertativas por áreas de atuação\blocos temáticos (e não por cargos ou órgãos específicos)
  • avaliação de títulos ou experiência profissional pregressa
  • aplicação do critério de preferência para a classificação final

A divulgação das disciplinas das provas objetivas e dissertativa está prevista para ocorrer após a adesão dos órgãos e contratação da banca organizadora, com a publicação no edital de abertura de inscrições.

A parte de títulos deverá ser diferenciada de acordo com as necessidades de cada órgão.

A lei de algumas carreiras prevê a aplicação de entrevistas ou memoriais. Nestes casos, se a lei prever a realização destas etapas adicionais, o próprio órgão poderá realizar o respectivo exame posteriormente, separado da seleção unificada.

O mesmo se dará para cargos que eventualmente contarem com algum tipo de curso de formação.

 

Fonte: Dol