Tá na Ita, tá legal!

Colonos da comunidade de Piabanhas em Aveiro querem ajuda da polícia civil e do corpo de bombeiros para encontra casal que está desaparecido há 10 dias

O registro do desaparecimento foi feito na segunda-feira (18), na seccional de polícia civil em Itaituba. Após o registro na delegacia
Colombos se dirigiram para o batalhão do sétimo grupamento de bombeiros militar para que buscas sejam feitas na área na tentativa de encontrar o casal. No batalhão os colonos ficaram por cerca de uma hora até serem recebidos pelo comandante da unidade.
A reportagem da Band os colombos aceitaram gravar entrevista desde que a identidade dos entrevistados fosse preservada. Um dos colonos conta que o casal está desaparecido há cerca de dez dias. Na área em questão, segundo o informante, existe grilagem de terras, e ameaça de morte contra os colonos são recebidas com certa frequência.

 

“Nós viemos na delegacia fazer um B.O lá na colônia lá onde nós mora lá sumiu um casal de gente lá estava trabalhando e o pessoal tem um rapaz lá que é grelheiro de terra que se diz ser o dono da área lá e a região comunidade Piabanha no município de Aveiro, só que vai pela aqui, pela Transjuriqui”. Relatou o colono.

 

Ainda segundo o homem, na localidade houve registro de destruição de barracos e motos.

Nós viemos aqui vamos ver como é que vão fazer pra ir atrás dele lá que os cara entraram lá queimando moto, derrubando barraco aí ficou aí nós estamos caçando nosso direito né? Pra ver se tem”. Relata.

 

Outra mulher conta que desde que as famílias passaram a ocupar a área elas começaram a ser ameaçadas de morte.

“Já vem havendo ameaça desde o começo que tem que nós estamos lá nessa área de terra. Aí tem essa pessoa que se diz dono e eles vem queimando, eles vem destruindo as coisas, quando a gente começa a trabalhar faz alguma coisinha eles vão lá e destrói, arrancaram até o plantio de mandioca, e daí pra cá é só é só destruição nós nunca consegue erguer nada”. Diz a mulher.

 

Ainda segundo ela, a ordem para destruição dos barracos parte de duas pessoas.

 

“A gente tem aí a informação de um senhor de Plínio um senhor chamado doutor Pedro e o filho dele”. Relata.

 

Uma outra mulher diz que tudo que eles querem é encontrar o casal querem também justiça que eles possam permanecer na área livre de qualquer tipo de ameaça.

 

“Então a gente que a justiça tome a direção disso porque a gente vai lá dentro, os colonos vai dentro, trabalha, eles vem e queima as coisa da gente”. Diz o homem.

 

 

Fonte: ITA FM