Tá na Ita, tá legal!

Casos de chikungunya cresceu 35% no país

De acordo com relatório da Fiocruz, os registros da chikungunya no Brasil cresceram mais de 35% em 2021. Até o momento, o maior número de casos foi registrado no Nordeste, seguido pelas regiões Sudeste e o Centro-Oeste.

André Siqueira, infectologista e pesquisador da Fiocruz, explica que “A Chikungunya tem uma característica de levar surtos bastante explosivos, ou seja, ela tem uma taxa de ataque muito grande. A melhor forma de evitar — a gente ainda não tem vacina — é no controle do Aedes aegypti” diz.

O especialista também explica que este período chuvoso em todo país somado ao calor são favoráveis para o aumento do Aedes aegypti, mosquito que provoca a doença assim como a Dengue. Ele cita que depois da eclosão dos ovos, o mosquito leva apenas sete dias para chegar à fase adulta “Por isso que a limpeza dos locais que acumulam água deve ser semanal para interromper o ciclo de vida do inseto”.